Aeroporto de Viracopos tem três grupos estrangeiros interessados em sua concessão

De acordo com Dario Lopes, secretário do Ministério dos Transportes, o aeroporto de Viracopos possui três grupos estrangeiros empenhados em conseguir a concessão dele.

O governo deseja que essa situação do aeroporto se resolva até janeiro, já que se essa concessão for realizada, não será preciso fazer uma nova licitação por parte do governo, segundo Dario Lopes, que exerce a função de secretário de Aviação Civil.

Em julho, a concessionária ABV (Aeroportos Brasil Viracopos) que administra o aeroporto,  resolveu entregar de volta a concessão  devido às dificuldades que o aeroporto vem atravessando, como o volume menor que o esperado de passageiros e de cargas, além de toda a crise financeira do país. As sócias da ABV são a Triunfo e a UTC, e com a entrega do aeroporto o governo seria obrigado a abrir uma nova licitação do aeroporto de Viracopos.

O secretário ainda declarou que existem duas possibilidades de compra, uma delas pode ser somente a parte que pertence à UTC e a outra pode ser a compra da parte da UTC e da Triunfo juntas.

A Secretaria de Aviação Civil revelou um estudo que foi feito da estimativa do movimento dos aeroportos para os próximos vinte anos, que demonstra que a demanda aérea brasileira pode aumentar em pelo menos 100%, chegando por ano a mais de 400 milhões de passageiros. Atualmente por ano, viajam cerca de mais de 200 milhões de passageiros dentro dos aeroportos brasileiros.

Esse estudo mostra que essa estimativa de mais de 400 milhões de passageiros, são dados bem moderados, já que estão sendo feitos com cenários sem previsão de nenhuma mudança no setor aéreo até 2037, como por exemplo redução nos valores das passagens.

Mas em 2037, se as estimativas forem positivas, a quantidade de passageiros circulando pelos aeroportos nacionais, podem chegar a mais de 700 milhões de passageiros por ano.

O estudo ainda revelou que os aeroportos regionais ainda apresentam uma capacidade de crescimento maior que os

aeroportos sistêmicos, que são aqueles que ficam por exemplo em Campinas, e o das grandes áreas metropolitanas.

As expectativas conservadoras apresentadas pelo estudo, contam com um crescimento de 104% até 2037 no número de passageiros nos aeroportos regionais, e de 87% na demanda dos aeroportos sistêmicos. Apesar desses números, os aeroportos sistêmicos irão receber cerca de 90,7% de todos os passageiros do território nacional.