As funções cognitivas são essenciais para o cérebro dos idosos

O envelhecimento é um processo bastante delicado em nossa cultura, na medida em que buscamos mais juventude a cada dia que passa, esquecendo muitas vezes de olhar para a sabedoria, a serenidade, a liberdade, a paciência e a autonomia, virtudes que, se forem corretamente trabalhadas, são mais bem aplicadas na velhice do que na própria juventude. Isso ocorre porque o idoso saudável tem a capacidade de julgamento mais sensata quando utiliza como parâmetro a sua experiência de vida.

Em todo mundo, a proporção de idosos está crescendo ligeiramente, ao se comparar com outras faixas etárias. Estima-se que em 2025 existirá um total de aproximadamente 1,2 bilhão de pessoas com mais de 60 anos. Até 2050, chegará a dois bilhões, sendo 80% nos países em desenvolvimento. Dessa forma, é preciso saber que a curva do envelhecimento cerebral é um U invertido, cujo declínio cognitivo ocorre ainda no adulto jovem. Esse é um processo natural e atinge até indivíduos que estiveram ao longo da vida em ambientes estimulantes e com rica formação educacional.

A partir disso, importante destacar a evolução do ser humano no que diz respeito a motricidade e funções cognitivas, graças ao contato com o mundo e com os objetos, expressando emoções e estados de espírito por meio das funções motoras e cognitivas. Com efeito, estimular as funções cognitivas e motoras é fundamental em todas as fases da vida, principalmente na velhice, pois muitos idosos são resistentes em abandonar sua rotina. Vale ressaltar que o envelhecimento está associado a perdas, entre elas está a capacidade de realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo.

No entanto, se a rotina do idoso for rica em estímulos e interações sociais, não é preciso romper com a mesma. Porém, a maioria dos idosos tem uma vida sedentária e solitária. Portanto, o estímulo na fase do idoso possui uma relevante característica, capaz de desenvolver autonomia e independência, melhorar a qualidade de vida e funcionalidade, uma vez que as funções cognitivas são responsáveis pelo funcionamento cerebral, como: memória, linguagem, percepção e funções executivas.

Acesse notícias exclusivas sobre a importância de estimular as funções cognitivas e motoras para envelhecer com saúde e boa memória clicando aqui.