Guilherme Paulus, idealizador da CVC, quer se tornar o maior hoteleiro do Brasil

Depois de vender o controle da sua empresa para a Carlyle, Guilherme Paulus tinha tudo o que precisava para nunca mais trabalhar. A transação movimentou cerca de R$ 1 bilhão e ajudou a levar o empresário brasileiro para a lista dos bilionários da FORBES Brasil.

Atualmente, é dono de R$ 1,9 bilhão e poderia passar o resto da sua vida descansando, mas não quer. Apaixonado por desafios, depois de ter transformada a CVC na maior agência de viagens da América Latina, ele quer se destacar no ramo hoteleiro.

Para isso, começa a trabalhar cedo. Às 6h30 Paulus já está em pé e não pense que é para aproveitar o ar fresco matinal. Ele logo sai para acompanhar o andamento dos investimentos, tomar decisões e, como bom empresário, verificar as suas obras. Guilherme gosta de saber de tudo o que está acontecendo.

Para ele, isso é essencial. O empreendedor diz que a vida de um empresário é cheia de imprevistos e a rotina é como um jogo de videogame: você nunca sabe o que virá pela frente. Por isso, segundo ele, é preciso estar pronto para lidar com os contratempos e a melhor forma de fazer isso é conhecendo o seu negócio a fundo.

Outro ponto que Guilherme destaca é que é preciso estar atento também aos concorrentes. É necessário ver o que eles estão fazendo e tentar não apenas ofertar o mesmo aos clientes, mas inovar. Isso é essencial para um organização que quer se destacar. Ele lembra que o mundo dos negócios é uma competição diária e o compara às competições de natação.

Paulos recorda que milésimos de segundo podem fazer com que um nadador perca o primeiro lugar no pódio em uma competição e diz que é assim que funciona também no mundo dos negócios. Um pequeno detalhe pode fazer com que o cliente deixe a sua loja e vá para a do seu concorrente.

Essa ideia de inovar e ficar atento a tudo sempre esteve na vida de Guilherme Paulus. Foi dessa forma que ele começou a CVC e a transformou na potência que é.

Tudo começou com a CVC

Na cidade de Santo André, no Estado de São Paulo, ele tinha uma pequena agência e muita, muita conta para pagar mesmo. O problema inicial foi tão grande, que um amigo de Guilherme Paulus chegou a sugerir que ele fechasse as portas, mas ele não quis.

Aceitando o desafio de fazer o pequeno empreendimento crescer, Paulus investiu. Ampliou o número de cidades para as quais fazia viagens, ofereceu estadias em hotéis melhores e ainda começou a parcelar os pacotes. Pouco a pouco, a CVC foi crescendo, até que chegou o momento em que ele conseguiu fretar um voo para o exterior, para levar os seus clientes.

Hoje, com mais experiência e com condições financeiras muito melhores do que naquele tempo, Guilherme Paulus foca em investir a sua fortuna no setor hoteleiro. Dono da GJP Hotels & Resorts, ele administra 13 empreendimentos do ramo e está investindo em outros. A ideia de Guilherme Paulus é se tornar o maior hoteleiro do Brasil.

Com quase 70 anos e mais de 40 de experiência, ele sabe muito bem quando e como investir. Agora, espera o momento certo para começar a construção de mais 19 hotéis três estrelas.

https://pme.estadao.com.br/noticias/noticias,guilherme-paulus–da-cvc-empreender-e-como-estar-dentro-de-um-jogo-de-videogame,1544,0.htm