Notícias e sua credibilidade: Um desafio contemporâneo e constante de curadoria

O saber jornalístico é uma das principais fontes disseminadoras de conteúdo e formação de opinião para uma sociedade cada vez mais carente de acesso à informação e notícias qualitativas, que apresentem fatos e opiniões claras, concisas, sem obscuridade em seus juízos de valor empregados nas entrelinhas cinzentas. E como avaliar a credibilidade deste saber? A curadoria é restrita apenas aos intelectuais acadêmicos?

Fontes de pequisa são responsáveis pela junção de um imensurável apanhado de portais, jornais, revistas, blogs e demais canais que propagam e disseminam notícias informativas numa velocidade quase impossível de ser acompanhada. Garimpar estes canais para chegar num consenso razoável de credibilidade da notícia Your text to link… é o primeiro passo para identificar qualidade na informação acessada. Veículos de comunicação investem constantemente em reformulações de jornalistas, pautas e direcionamentos textuais, tudo para aprimorar a qualidade da informação repassada, preocupando-se com a audiência de suas notícias e como elas influenciarão na sociedade a partir da percepção e envolvimento do público leitor.

Notícias estão dispersas por todos os cantos e são a matéria física do trabalho de milhares de formadores de opinião, afinal, todos viramos formadores de opinião com o advento crescente e vanguardista das redes sociais. Cada perfil social tornou-se um difusor de informações e notícias, verídicas ou não, mas com alto grau de disseminação na rede. Tal fator representa um importante ponto de atenção, um olhar crítico do leitor/consumidor da notícia, que precisa, através de referências e pesquisas, validar a procedência e qualidade da informação. Do contrário, mantemo-nos reféns de um calhamaço de informações cada vez mais crescente, eloquente e repleto de incertezas, ou certezas mal apuradas. Um desafio atual, contemporâneo e recorrente. Tornamo-nos curadores de conteúdo todos os dias, ao ligar à TV, assistindo o Jornal, lendo um post de Facebook. Somente desta forma conseguiremos angariar credibilidade para o consumo de notícias diário, seja em qual canal for, esta é a única forma minimizar os riscos de uma informação imprecisa, tendenciosa e seletiva. Com o advento da globalização numa era informacional, nosso papel enquanto curadores é cada vez mais necessário, preciso e precioso.